A independência do Brasil em perspectiva historiográfica

Autores/as

  • Sonia Regina de Mendonça Universidade Federal Fluminense – Conselho Nacional de Desemvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq)

Palabras clave:

Brasil, Hegemonia do Sudeste, Escravidão.

Resumen

O texto contextualiza as especificidades do processo de emancipação política do Brasil, partindo de três pressupostos básicos: que ela consistiu de um processo razoavelmente longo sobredeterminado pela imposição da hegemonia dos grupos de interesse do Sudeste sobre as demais regiões; que a construção da sintonia entre Território e Estado Nacional somente adquiriu contornos a partir de uma “expansão para dentro” e que sua consolidação foi fruto de uma conquista -militar, política e cultural- tendo por alicerce a escravidão.

Descargas

Los datos de descargas todavía no están disponibles.

Citas

Albuquerque, Manoel Mauricio de. Pequena história da formação social brasileira. Rio de Janeiro: Graal, 1986.

Anderson, Benedict. Nação e consciência nacional. São Paulo: Ática, 1989.

Costa, Wilma Peres. “A Independência na historiografia brasileira” in Independência: história e historiografia in István Jancsó (org). São Paulo: Fapesp-Hucitec, 2005, pp. 53-118.

Dias, Maria Odila da Silva. “A interiorização da metrópole, 1808-1852” in 1822: Dimensões in Carlos Guilherme Mota (org). São Paulo: Perspectiva, 1972, pp. 160-184.

Freitas, Decio. Insurreições Escravas. Porto Alegre: Movimento, 1976.

Gorenstein, Riva. Enraizamento de interesses mercantis portugueses na região centro-sul do Brasil. Mestrado. São Paulo: Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, 1978.

Karasch, Mary. A vida dos escravos no Rio de Janeiro. São Paulo: Cia. das Letras, 2000.

Leite, Dante Moreira Caráter Nacional Brasileiro. São Paulo: Unesp, 2003.

Lenharo, Alcir. As tropas da moderação. Rio de Janeiro: Biblioteca Carioca, 1992.

Martinho, Lenira Menezes. Organização do trabalho e relações sociais no interior das firmas comerciais do Rio de Janeiro, 1808-1822. Mestrado. São Paulo: Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, 1977.

McFarlane, Anthony. “Independências americanas na era das revoluções: conexões, contextos, comparações” in A Independência Brasileira: Novas Dimensões in Jurandir Malerba (org). Rio de Janeiro: Editora FGV, 2006, pp. 387-417.

Malerba, Jurandir (org) A Independência Brasileira: Novas Dimensões. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2006.

Mattos, Ilmar Rohloff de. O Tempo Saquarema. São Paulo: Hucitec, 1987.

Mattos, Ilmar Rohloff de. “Construtores e herdeiros: a trama dos interesses na construção da unidade política”. Almanak Braziliense Revista Eletrônica. 1, maio, 2005, pp. 9-26.

Morel, Marco e Barros, Mariana Monteiro de. Palavra, imagem e poder. O surgimento da imprensa no Brasil do século XIX. Rio de Janeiro: DP&A, 2003.

Mota, Carlos Guilherme (org). 1822: Dimensões. São Paulo: Perspectiva, 1972.

Neves, Guilherme Pereira. “Do império luso-brasileiro ao império do Brasil (1789-1822)”. Ler História [Lisboa], no. 27/28, 1995, pp. 75-102.

Neves, Lucia Bastos P. e Machado, Humberto F. O Império do Brasil. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1999.

Nogueira, Octaciano. Obra política de José Bonifácio. Brasília: Senado Federal, 1973.

Novaes, Fernando Antonio. Estrutura e dinâmica do antigo sistema colonial (séculos XVI-XVIII). São Paulo: Cebrap-Brasiliense, 1974.

Oliveira, Cecília Helena de Salles. “Tramas políticas, redes de negócio” in István Jancsó (org) Brasil: Formação do Estado e da nação. São Paulo: Fapesp – Hucitec - Unijuí, 2003.

Oliveira, Cecília Helena de Salles. “Heranças recriadas: especificidades da construção do Império do Brasil”. Almanak Braziliense Revista Eletrônica. 1, maio, 2005, pp. 44-50.

Piñeiro, Théo Lobarinhas. “Negociantes, independência e o primeiro banco do Brasil: uma trajetória de poder e de grandes negócios”. Revista Tempo [Rio de Janeiro – Universidade Federal Fluminense] vol.8, no. 15, jul. 2003, pp. 71-91.

Descargas

Publicado

2018-09-11

Cómo citar

de Mendonça, S. R. (2018). A independência do Brasil em perspectiva historiográfica. Revista Pilquen. Sección Ciencias Sociales, 12(1), 1–10. Recuperado a partir de http://revele.uncoma.edu.ar/index.php/Sociales/article/view/1938